FALE CONOSCO

31   3270-3999

WhatsApp

31 99915-7431

Concurso

Concurseiras, como enfrentar a TPM

Irritabilidade, hormônios desregulados, inchaço, oscilação repentina de humor, dores e uma vontade incontrolável de consumir chocolate. Esses sintomas visitam grande parte da ala feminina uma vez por mês e o conjunto de todos esses fatores resulta numa síndrome muito conhecida pelas mulheres durante um período que pode variar de dois a cinco dias: a Tensão Pré Menstrual, ou, simplesmente, TPM. A sigla, apesar de composta por apenas três letras, pode demandar um extenso conjunto de efeitos colaterais que provocam sintomas indesejáveis – e devastadores, em alguns casos – sem escolher hora ou lugar. Entre as prejudicadas, as concurseiras garantem que, apesar das piadas que rodeiam o assunto, a situação é bem mais séria do que parece. “Eu tomo remédios para diminuir as consequências da TPM, no entanto, na última semana de aula do cursinho para prestar concurso para professor, não pude comparecer. Esse era o momento de sanar todas as dúvidas, mas perdi a oportunidade. Além da cólica, sofro com náuseas e não consigo me concentrar. Esse foi um dos fatores que prejudicaram o meu desenvolvimento durante a prova”, relata a estudante de 19 anos, Isabela Goes. De tanto as candidatas sofrerem com a TPM, já há até quem lhes preste auxílio específico para o controle de tamanho desconforto.

As dicas de um professor que observou as mulheres

O professor de Preparação Física para concursos do Curso Multiplus, Ademir de Deus, formado em Educação Física e com especialidades em Medicina do Esporte e Bases Nutricionais da Atividade Física afirma que, ao ingressar no ramo de estudos para concurso, notou como essa tensão atrapalhava o desenvolvimentos das mulheres, seja na hora da prova ou durante a fase de preparação. “Eu fiz muitos cursinhos preparatórios para concursos e também estudei muito em grupo. Com isso, pude perceber que mesmo as mulheres estando preparadas para a avaliação, se no dia da prova estivessem na fase menstrual ou pré-menstrual, não conseguiam se desenvolver da mesma forma com que faziam durante as aulas e os estudos. Após os exames, algumas relatavam dores nas costas, no baixo ventre, na cabeça e apontavam que isso dificultava o raciocínio para que elas conseguissem de fato mergulhar na questão e achar a resposta correta.”

Os concurseiros passam muito tempo em uma mesma posição, não importa se em grupo de estudos ou nas aulas. Eles permanecem sentados e um pouco curvados sobre os livros e textos. Essa situação piora o estado das mulheres que sofrem de TPM, pois as dores vão se intensificando e é quase impossível permanecer concentrada. Não há um consenso quanto ao número de efeitos colaterais dessa tensão, contudo, sabe-se que mais de 45 sintomas afetam as mulheres antes e até mesmo durante o ciclo menstrual. Ademir destaca que, em média, 80% das mulheres sofrem de TPM, porém existem diferentes níveis de tensão (brando, intermediário e grave). O nível mais preocupante, grave, afeta de 3% à 11% das mulheres. “Nesses casos, além da irritabilidade, nervosismo e ansiedade, as mulheres sofrem de dores no corpo todo, principalmente no baixo ventre e região lombar e também podem sofrer de depressão e baixa auto-estima”. Receita inclui exercícios e alimentação regrada.

Para minimizar os efeitos e dores, o professor afirma que é importante se prevenir e que a prática de atividade física deve ser encarada como mais uma matéria para se dedicar. “A prática de atividades anaeróbicas e cardiovasculares estimulam a produção do HDL, que previne problemas cardíacos e também atua na fixação da memória. Os exercícios, como musculação e caminhadas, além de estruturarem o corpo do concurseiro para aguentar horas e horas de estudos, diminuem as patologias que podem aparecer por conta do sedentarismo e dão maior disposição e vitalidade. É necessário se exercitar pelo menos três vezes na semana, separando 30 minutos de caminhada e mais 30 para atividades que atuem na força muscular.”. Além do exercício, é importante ter cuidado especial com a alimentação. Ademir atenta para dois inimigos das mulheres nessa época: alimentos que contenham sal e estimulantes. “Alimentos que possuem cafeína em sua forma, como café, coca-cola e chá, atuam no sistema nervoso central, nas supra renais e com isso liberam adrenalina que deixa a mulher mais tensa, nervosa e irritada. O ideal é que esses alimentos sejam suprimidos em parte ou até mesmo eliminados totalmente”. O professor ressalta que na fase da TPM, as mulheres sofrem com o efeito psicológico, já que podem ‘engordar’ até 3kg pelo inchaço natural, causando frustação e baixa auto-estima. Ao persistirem os sintomas, é comum recorrer a medicamentos, porém esta não é a melhor escolha. De acordo com o professor (assista a trechos da entrevista clicando aqui), todo remédio traz um efeito colateral e reage de forma diferente em cada pessoa. O uso indevido pode acabar atrapalhando ao invés de ajudar. “A concurseira tem medo de estar desperdiçando tempo fazendo exercícios. O ideal é que ela estude até chegar a um ponto de saturação e depois relaxe, realizando alguma atividade física. Isso trará uma benefício corporal, físico-mental, e depois ela retornará aos estudos com ainda mais vitalidade.” Veja relato de uma concurseira que sofre com a TPM.
Renata Castro, de 25 anos, mantém uma rotina de estudos em casa e diz que durante a TPM é quase impossível preservar a concentração. “Eu sou uma daquelas mulheres que fica super irritada e hiper sensível nesse período, e como já estou passando por um momento de maior tensão e ansiedade, tudo isso fica potencializado. Nesse período meus estudos rendem menos e eu me questiono sobre parar de trabalhar e me dedicar 100% ao concurso, mesmo sabendo que não posso parar de trabalhar. Quando vejo que estou com os sintomas, opto por estudar assuntos nos quais tenho mais facilidade e faço exercícios físicos, que aliviam o estresse e a cólica, além de ajudar a manter a minha auto-estima. No auge das crises fico um pouco mais triste e angustiada, assim, recorro à minha família e ao namorado. Eles me dão força e me lembram que é apenas uma fase e que todo esforço valerá a pena.”

Por isso, as concurseiras de plantão devem optar pela prevenção, evitando os chamados ‘comportamentos de risco’. Alimentação desequilibrada, permanecer muito tempo sentada e a falta de atividades físicas são fatores que não vão agregar em nada na preparação. Aqueles que buscam o ingresso em concurso público devem ficar atentos a qualquer dica que possa ajudá-los a conseguir essa aprovação. Então, a orientação do especialista é separar um tempo para praticar exercícios, tirar o peso da consciência e encarar a preparação como mais uma etapa da caminhada. Para passar, valem alguns sacrifícios – mas nunca deixar de tratar bem a si mesmo. E, no caso das mulheres, é preciso saber lidar com o ritmo e as características próprias do corpo feminino. Então, mulheres, que tal arregaçar as mangas e dar um novo sentido à TPM, fazendo dela a sigla de um comportamento transformador? Sempre é tempo de se conhecer, se cuidar. Fazer de Tudo Para Melhorar…

 

* Por Thamara Laila

 

Fonte: Folha Dirigida

 


Informativos Mega

Para receber nossos informativos pelo whatsapp, pedimos por gentileza, que adicione nosso número em seus contatos: 31-99728-5431