FALE CONOSCO

31   3270-3999

WhatsApp

31 99915-7431

Concurso

Condicionamento em prova

Levantar cedo, estudar leis complicadíssimas o dia inteiro, estatutos, lógica, matemática. Se preocupar com as centenas, ou milhares, de candidatos que almejam a mesma sonhada vaga no serviço público. Dar um tempo nas saídas com os amigos, adiar os compromissos e os sonhos. Tanto esforço é para passar em um concurso público. Mas alguns órgãos querem mais de seus futuros funcionários. Somada à avaliação escrita, o chamado Teste de Aptidão Física (TAF) é uma prova de educação física, que visa testar a resistência e a força dos candidatos. Policiais militares, bombeiros e funcionários do Detran, por exemplo, precisam provar que são fisicamente capazes de executar o trabalho.

“O erro mais comum dos candidatos é se preocupar muito com as fases teóricas dos concursos e só começar a se preparar para o TAF depois que for aprovado. Assim, o tempo de preparação para a prova de condicionamento físico fica muito curto”, afirma o educador físico Pedro Milani. O intervalo entre o resultado da prova teórica e o TAF é de, em média, 45 dias. Mas alguns concursos, como o da Polícia Federal, dão cerca de um mês para o candidato enfrentar o teste físico.

É preciso treinar sem pressa para não se lesionar e aumentar, gradualmente, a intensidade dos exercícios. Para aqueles que não têm o costume de praticar atividades físicas, a recomendação é de se preparar ao longo de três meses. “Não dá para fazer milagre. A barra, por exemplo, é um exercício que exige que o aluno treine a força e os movimentos antes de conseguir subir repetidamente”, explica o professor Wesley Rocha, que dá aulas especiais para os candidatos de provas práticas e conta que não atende mais candidatos que querem se preparar em cima da hora. Se programar para treinar com antecedência faz diferença. Além de ser um passo à frente dos outros candidatos, a prática de exercícios físicos também ajuda na concentração para a parte teórica da prova.

Na hora do treino, os detalhes são importantes. O ideal é tentar imitar as condições reais das provas, fazendo exercícios no mesmo horário e considerando o local de aplicação do treino. “Muita gente treina com música, que é um incentivo não permitido na hora do teste ou escolhe tênis diferentes, que podem influenciar na performance, por exemplo”, explica Pedro. Com a seca, alguns candidatos podem não estar bem preparados para enfrentar o clima na hora da avaliação. Se o horário do teste não é definido, a indicação é treinar em condições adversas, em vários horários e lugares distintos, para ficar preparado para qualquer situação.

“Não é muito difícil passar, mas o sucesso está relacionado à dedicação dos candidatos. A última prova dos Bombeiros reprovou 49% dos candidatos, e os que não passaram foram, justamente, os que não se comprometeram com o treinamento”, afirma Wesley. A advogada Hellen Borges, 28 anos, está se preparando com afinco para os TAFs. “Minha rotina de estudos vai além das oito horas diárias de teoria. Concilio com a musculação, três vezes na semana, para aumentar a massa muscular. Faço dois dias de treino específico para os testes e mais dois dias de natação”, conta a candidata.

Ela quer ser policial. A prova que vai garantir, ou não, a sua vaga ainda não tem data, mas os treinos começaram com antecedência e o exercício mais temido por ela é a barra. Hellen vai fazer duas provas e, em uma delas, não basta ficar estática na posição. É preciso fazer, pelo menos, uma repetição e, para isso, a série na academia já sofreu alterações. Mesmo sem previsão do dia do teste, Hellen está confiante. Treinando desde já, as chances do sonhado cargo público só aumentam.

O que os concursos pedem:

– Teste de cooper : corrida que dura 12 minutos. Para a pontuação, é considerada a metragem que o candidato conseguiu correr durante a prova.

– Corrida ir e vir: dois objetos ficam a 9,14 metros de distância da linha de partida. O candidato deve correr até um deles, voltar para a linha de chegada e repetir o exercício. As mulheres têm 15 segundos para executar a prova e os homens, 13.

– Teste de barra: cada concurso pede que o candidato faça um número específico de repetições e exige uma pegada diferente na barra. Para mulheres, o objetivo é manter-se na posição por 10 a 15 segundos.

Meio sugado: o exercício exige bastante energia por parte dos candidatos. Começa-se em pé, agacha-se com os braços por fora das pernas, apoia as mãos no chão e parte para a posição da flexão. Na volta, o caminho é o contrário. Agachamento e levantamento. A exigência mais comum é de 15 repetições para as mulheres e 20 para homens. Tudo tem que ser feito em um minuto.

*Por Juliana Contaifer – Do Correio Braziliense


Fonte:
Dzaí

 


Informativos Mega

Para receber nossos informativos pelo whatsapp, pedimos por gentileza, que adicione nosso número em seus contatos: 31-99728-5431